Universidades da Amazônia instauram Incubadora de Políticas Públicas da região


30.09.2011 18:00

: :Universidades da Amazônia instauram Incubadora de políticas públicas da região


 

Representantes de nove universidades dos Estados que compõe a Amazônia Legal assinaram nesta sexta-feira, 30, o Termo de Protocolo que instaura a Incubadora de Políticas Públicas da Amazônia, um importante instrumento de articulação que visa promover o desenvolvimento regional. A cerimônia foi realizada no Centro de Eventos Benedito Nunes, no campus Guamá, em Belém. A IPPA é formada por uma rede de pesquisa, ensino e extensão, vinculada ao Fórum de Pesquisa e Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável da Amazônia.

 

A presidente do Fórum, professora Rosemara Staub, disse que a instauração da IPPA representa um passo importante para os planos de ação em prol do desenvolvimento sustentável da região “É uma excelente oportunidade para o desenvolvimento de nossas pesquisas, oriundas de nossos programas de pós-graduação. Nossas ações nos diferentes Estados da região norte poderão, a partir de hoje, ser executadas em uma rede extremamente fortalecida entre nós”, afirmou.

 

De acordo com o Diretor Geral do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA), Armin Mathis, pesquisas como as do NAEA/UFPA, poderão contribuir ainda mais no processo de crescimento socioeconômico da região, uma vez que a rede viabiliza maior poder de articulação junto a órgão de fomento e com poder de decisão. “Meu desejo é que esta incubadora se torne um instrumento forte e respeitado dentro da Amazônia por meio do seu trabalho e que ela (rede) gere, realmente, o desenvolvimento, contribuindo para a melhoria das condições de vida da população que vive aqui”, disse.

 

Participação - A Incubadora de Políticas Públicas da Amazônia tem como missão contribuir para a concepção, formulação, acompanhamento e avaliação de políticas públicas de desenvolvimento sustentável para a região, seus estados e municípios, apoiadas no conhecimento científico, nos saberes tradicionais e na participação qualificada dos atores regionais.

 

Entre os produtos e serviços que a IPPA irá oferecer para os Estados, Prefeituras e demais entidades interessadas estão: a promoção de estudos e pesquisas sobre a realidade econômica, social, cultural, político-institucional e ambiental da Amazônia, seus estados e municípios; a elaboração de indicadores de acompanhamento e avaliação de políticas públicas de desenvolvimento regional e urbano; a formação e capacitação de lideranças e gestores públicos; o planejamento estratégico de municípios, estados e regiões; a assessoria na concepção, elaboração e avaliação de projetos públicos; a identificação de fontes potenciais de financiamento de projetos e programas de desenvolvimento; e o apoio na articulação do setor público, sociedade civil e setor produtivo para a construção de governança e gestão de arranjos produtivos locais estratégicos para o desenvolvimento da Amazônia.

 

O Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Federal de Roraima (UFRR), Luiz Alberto Pessoni, enfatizou a necessidade de se pensar políticas públicas a partir da realidade local e que a criação de uma rede que integra grupos que conhecem a região, poderá responder a esse processo. “Muitas vezes o que acontece e o que se vê na nossa região, e em grande parte do país, é que as ações são pensadas por quem não conhece a realidade local. Iniciativas como essa precisam ter fundamentos de dados, informações para as proposições que serão apresentadas para que a gente possa fazer reivindicações em termos de políticas para a região”, afirmou.

 

Sustentabilidade - O vice-reitor da UFPA, Horacio Schneider, representando a Universidade, encerrou a cerimônia fazendo uma reflexão sobre os conceitos de desenvolvimento sustentável, uns mais simples e outros mais complexos. Ele falou das mudanças que esses conceitos irão sofrer nas próximas décadas e das contradições que se vive, atualmente, no mundo globalizado. “O mundo globalizado de hoje possibilita, e poderia dizer que ele é um facilitador, da busca de uma sociedade sustentável, porque a capacidade de disseminação, a velocidade com que a sociedade da razão e do conhecimento pode chegar aos lares de todos, é quase  instantanea. No entanto, este fato, que poderia ser o vetor facilitador de transformações positivas, pode também ser um obstáculo para uma transformação sustentável”. E completa, “desejo com o esforço de todos da academia, que lutem pra alcançar o quase inalcançável. Iniciativas como essa podem transformar esse sonho em realidade”, concluiu.

 

Após a cerimônia de abertura, a programação seguiu com a exposição e discussão do painel "Políticas Públicas, Universidade e Desenvolvimento Regional na Amazônia”, apresentado por representantes das universidades, do Ministério da Integração Nacional, da SUDAM e do Banco da Amazônia, além dos institutos de pesquisa e órgãos de planejamento, fomento e financiamento do desenvolvimento regional com atuação macroregional na Amazônia, como o Museu Emílio Goeldi, Banco Nacional do Desenvolvimento e Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA).

 

Texto: Ericka Pinto – Assessoria de Comunicação da UFPA

Fotos: Karol Khaled

 

Exibições: 88

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação para adicionar comentários!

Entrar em Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação

Revista Brasileira de Monitoramento e Avaliação

#Eval4Action

Siga-nos no Facebook!

© 2021   Criado por Marcia Joppert.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

a.next_photo_link img:hover {transform:scale(1.20);-ms-transform:scale(1.20);-o-transform:scale(1.20);-webkit-transform:scale(1.20);-moz-transform:scale(1.20); transform:scale(1.20);-webkit-transition:all 1s ease-out;-moz-transition:all 1s ease-out;transition:all 1s ease-out;-ms-transition:all 1s ease-out;-o-transition:all 1s ease-out;}