Mesa " Retratos da Educação na Pandemia: um olhar sobre múltiplas desigualdades"

Semana gLocal de Avaliação 2021. Mesa " Retratos da Educação na Pandemia: um olhar sobre múltiplas desigualdades" reúne especialistas de instituições que tem desenvolvido pesquisas sobre a educação brasileira no contexto da pandemia. O foco do debate será na reflexão de dados que evidenciam o aprofundamento das desigualdades educacionais. O conhecimento será essencial para a formulação de políticas públicas adequadas aos novos desafios da educação no país.

*Saiba mais e inscreva-se no link: 

https://zoom.us/webinar/register/WN_vUOIIq7oSPywYqsd3o307g

https://glocalevalweek.org/pt-pt/event-detail/21181

Exibições: 326

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação para adicionar comentários!

Entrar em Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação

Comentário de Cesar de Oliveira em 25 maio 2021 às 21:53

Artigo enviado ao CLP(Centro de lideranças públicas)

CARTA ABERTA:

Diz o artigo 205 da Constituição Federal de 1988: “ A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”.

Do artigo, podemos chegar a alguns conceitos básicos da educação na Constituição:

A educação é um direito de todos;

A educação é dever do Estado

A educação é dever da família

A educação deve ser fomentada pela sociedade

Anísio Teixeira defendia a criação de uma rede de ensino que fosse da Educação Infantil à universidade, e atendesse a todos, independentemente de raça, condição financeira ou credo, e olhasse para os interesses da comunidade em que estava inserida.

Darcy Ribeiro foi, sobretudo, um defensor incansável da escola pública, que ele considerava “a maior invenção do mundo”.Sua visão de educação foi profundamente influenciada pelo movimento Escola Nova, que procurava renovar a educação opondo-se aos métodos tradicionais de ensino e tornando a escola instrumento de combate às desigualdades sociais.

Para Emiliano Zapata a uma grande diferença entre escolas públicas e privadas. Não apenas na qualidade de ensino, mas também nas partes de infraestrutura, métodos, organização e cobranças de rendimento dos alunos. Claro que há escolas particulares que não são tão boas e há públicas que são referência. No entanto, de maneira geral, os alunos da rede privada têm melhores desempenhos.

Participando em uma live com um governador (presidenciável)que e notório tem uma visão sistêmica sobre as consequências da suspensão das aulas presenciais nas escolas públicas e as consequências que isso pode trazer, lembrando da disparidade com o acesso que o aluno da rede particular tem nas plataformas digitais em comparação aos da rede pública chego a seguinte conclusão:

Estamos sendo justo com os menos favorecidos?

Estamos cientes do abismo que isso terá?

Faremos algo já e urgente antes do mal maior?

No Enem de 2021 o tratamento será o mesmo?

E como cidadão eu pergunto:

Quem é mesmo o ministro da educação?

Porque não está agindo?

Já que faz parte do clero kd o rei?

Comentário de carolina proietti imura em 25 maio 2021 às 12:02

veja agora! obrigada pelo alerta. abraço

Comentário de Maria do Carmo Meirelles Toledo em 25 maio 2021 às 11:43

Bom dia. Não estou conseguindo acessar o link

Poderia ser reencaminhado? Obrigada

Revista Brasileira de Monitoramento e Avaliação

#Eval4Action

Siga-nos no Facebook!

© 2021   Criado por Marcia Joppert.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

a.next_photo_link img:hover {transform:scale(1.20);-ms-transform:scale(1.20);-o-transform:scale(1.20);-webkit-transform:scale(1.20);-moz-transform:scale(1.20); transform:scale(1.20);-webkit-transition:all 1s ease-out;-moz-transition:all 1s ease-out;transition:all 1s ease-out;-ms-transition:all 1s ease-out;-o-transition:all 1s ease-out;}