MEIO OU O AMBIENTE INTEIRO, O QUE QUEREMOS?

Para as Organização das Nações Unidas (ONU) o meio ambiente é o conjunto de elementos

físicos, químicos, biológicos e sociais que podem causar efeitos diretos ou indiretos sobre os

seres vivos e as atividades humanas. O meio ambiente é o conjunto de unidades ecológicas

que funcionam como um sistema natural.

A influência do capitalismo como modelo econômico dominante está presente em tudo que

se faz e no modo de se viver. SINGUER 2002 p7. A revolução industrial só maximizou algo

que mais dia menos dia viria à tona, o desequilíbrio entre desenvolvimento e

sustentabilidade e na busca de mais crescimento o desenvolvimento se chocou com o meio

ambiente e na ânsia por mais espaço o desenvolvimento usou todas as suas artimanhas

contra o meio ambiente deixando um rastro de mazelas que inclui; Exclusão social,

desmatamento, mudanças climáticas e morte.

RETROCESSO AMBIENTAL:

O rastro de exclusão deixado pela competição desenfreada por mais espaço, mais lucro,

mais produção implantado pelas grandes organizações que formam grupos com poderes

homogêneos buscam atuar dominante em legislações e aprovações de leis que muitas das

vezes geram a perda da identidade cultura de uma região levando a perda de identidade

cultural de um povo ou povoado sem sequer promover projetos para um desenvolvimento

local em busca de um desenvolvimento social local sustentável, ou buscar ao máximo o

crescimento econômico aliado com desenvolvimento sustentável, mesmo que isso aos olhos

de muitos seja uma quimera.

MUDANÇA NA LEI AMBIENTAL:

Desde os anos oitenta 1980 o Basil vem implementado leis que buscam estabelecer limites

para a poluição atmosférica e o desmatamento florestal, estabelecendo padrões de

qualidade do ar e limites para conter as crescentes explorações de matas e buscando a

recuperação de áreas já devastadas. Mas mesmo se munindo de ferramentas para frear o

desmatamento e a poluição atmosférica estamos retrocedendo na atuação e os números

vem mostrando que precisamos agir. De acordo com a https://www.globalforestwatch.org

desmatamento no Brasil nunca esteve tão atuante, nos últimos anos o Brasil perdeu 53.8

milhões de hectares de cobertura arbórea entre 2001 e 2018 e estima-se que 66 dessa

perda ocorreu devido a fatores de urbanização ou agropecuária ou seja em termos anuais

entre 2018 e 2019 mostra um aumento de 29,54% da área desmatada em relação ao

mesmo período anterior, 2017 e 2018,logo a certeza que estamos ou flexibilizando leis

outrora eficientes ou retrocedemos na atuação, monitoramento ou penalização aos

infratores.

DESMATAMENTO ZERO:

Para MELLO NETO e FROES, responsabilidade social é um estágio mais avançado no

exercício da cidadania corporativa. Uma organização não pratica a responsabilidade social por uma decisão estratégica, ela precisa estar intrinsicamente engajada no que tange a

dimensão ecológica e os processos que levam a ter mais relações éticas com sua imagem

junto ao mercado consumidor e a demanda por mais valor ao que se oferece a ele. A

reponsabilidade social requer, mas a noção de sustentabilidade social e de capital social,

que não se restringe só ao capital humano. Há divergências entre considerar a

sustentabilidade e os recursos naturais, mas quando analisamos os dados em que mostram

que a agricultura familiar alimenta 4.4 milhões de famílias e é responsável por 70% da renda

dos brasileiros no campo no campo Qual a situação da agricultura familiar no Brasil? |

Politize! e segundo a ONU 80% de toda comida do planeta vem desse tipo de produção esse

e o conceito de capital natural.

EMPODERAMENTO DO CIDADÃO:

O século XXI e caracterizado por um mundo em fronteiras em que a exclusão social não

pode ser mais ignorada a sociedade exige das organizações um comportamento ético

comprometido com a qualidade de vida do planeta e oportunidade de iguais para os

cidadãos. Politicas publicas precisam ser implantadas, monitoradas e avaliadas sempre

buscando a gestão pública com eficiência eficácia e efetividade. O terceiro setor e de suma

importância, através dele pode-se buscar um monitoramento e com a capacidade de

mobilizar, empoderar o cidadão em busca de atendimento as demandas sociais que

frequentemente o Estado não mostra capaz de resolver.

A ideia de um mundo melhor para todas as gerações sem prejudicar o meio ambiente é um

objetivo social desejado, o que faz com que o mundo todo queria esse projeto implantado

em seu território. A terra não suporta mais a capacidade desenfreada de retirada de

insumos que estão ocorrendo e as catástrofes vem sendo cada dia mais constantes, como

terremotos, maremotos o aquecimento global a destruição da camada de ozônio nos

mostram que chegamos ao limite e os problemas sociais como a pobreza que afeta bilhões

de pessoas no mundo.

Para contornar esse problema precisamos pensar globalmente, mas agir localmente criando

ideias implementando projetos ouvindo todas as partes em busca de um bem comum e a

busca incansável de resoluções para a entrega de um planeta melhor para as próximas

gerações. 

                                                    Autor: Cesar de Oliveira

Exibições: 153

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação para adicionar comentários!

Entrar em Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação

Comentário de Cesar de Oliveira em 23 março 2021 às 17:10

Revista Brasileira de Monitoramento e Avaliação

#Eval4Action

Siga-nos no Facebook!

© 2021   Criado por Marcia Joppert.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

a.next_photo_link img:hover {transform:scale(1.20);-ms-transform:scale(1.20);-o-transform:scale(1.20);-webkit-transform:scale(1.20);-moz-transform:scale(1.20); transform:scale(1.20);-webkit-transition:all 1s ease-out;-moz-transition:all 1s ease-out;transition:all 1s ease-out;-ms-transition:all 1s ease-out;-o-transition:all 1s ease-out;}