MDS fará pesquisa sobre a situação nutricional de quilombolas

 

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) vai realizar, este ano, pesquisa sobre a situação de segurança alimentar e nutricional de 173 comunidades quilombolas. O objetivo do estudo é avaliar o perfil nutricional de crianças menores de cinco anos de idade, bem como a situação de segurança alimentar, e descobrir como é o acesso das famílias aos serviços, benefícios e programas governamentais. Também será descrito o perfil socioeconômico das comunidades remanescentes de quilombos tituladas. O trabalho tem a parceria da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir).

O levantamento será realizado nas comunidades quilombolas que obtiveram título de posse coletiva  
   
Mais de 170 comunidades serão pesquisadas 
 
da terra entre 20 de novembro de 1995 e 14 de outubro de 2009. No total, 55 municípios serão pesquisados. Durante as visitas, as crianças menores de cinco anos de idade serão pesadas e medidas.

Para realizar o trabalho de campo, o MDS contratou, por meio de licitação, o Núcleo de Pesquisa, Informação e Políticas Públicas da Universidade Federal Fluminense (DataUFF). A empresa foi selecionada a partir do edital publico 10.333/2010, no âmbito do Projeto de cooperação técnica BRA 04/046 – firmado entre o MDS e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). 

Oficinas – Responsável pela coordenação do estudo, a Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação (Sagi) do MDS, em parceria com Seppir, realizará oficinas técnicas regionais. Nesses encontros, os objetivos e metodologia da pesquisa serão apresentados aos membros das comunidades. As duas primeiras oficinas deste ano ocorrerão no Pará, no dia 23 de fevereiro, em Belém, e no dia 25, em Santarém. Já a última reunião contará com as presenças de comunidades de todo o Nordeste e está marcada para o dia 16 de março, em São Luís, no Maranhão.

Segundo o coordenador de avaliação da Sagi, Alexandro Pinto, a primeira oficina, em Brasília, em outubro de 2010, reuniu pessoas do Sudeste, Centro Oeste e Sul. Durante a reunião, tanto os pesquisadores quanto os líderes comunitários foram orientados sobre como proceder durante as visitas. "O levantamento será bem exaustivo, vamos perguntar quanto gastam, o que comem, pegar as crinaças p ara pesar e medir. Então, isso pode causar um certo constragimento. Por isso, vamos explicar nas oficinas sobre o que vamos fazer com esses dados, qual a utilidade deles para as politicas públicas, explicar tudo para a comunidade para podermos atuar sem problemas".  
Crachá 

Ainda de acordo com Alexandro, cerca de 11.070 famílias serão avaliadas em 14 unidades federativas (veja quadro aqui). Os resultados do estudo serão divulgados em novembro.

Mais informações podem ser obtidas pelo seguinte endereço eletrônico: quilombolas@mds.gov.br.



 Fonte: pantanal news 27.01.2011

Exibições: 30

Comentar

Você precisa ser um membro de Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação para adicionar comentários!

Entrar em Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação

Associe-se

#Eval4Action

Revista Brasileira de Monitoramento e Avaliação

Pessoal, todas as edições da Revista estão aqui na Plataforma, mas alguns membros se queixaram da dificuldade de localizar os números anteriores. Então, estou abrindo aqui essa janela novamente e colocando todos os números aqui.

A boa notícia é que estamos planejando retomar a Revista em 2020. Aguardem! 

A Diretoria

Revista_BMA_1.pdf

Revista_BMA_2.pdf

Revista_BMA_3.pdf

Revista_BMA_4.pdf

Revista_BMA_5.pdf

Revista_BMA_6.pdf

Revista_BMA_7

Revista_BMA_8

Revista_BMA_9

Siga-nos no Facebook!

© 2020   Criado por Marcia Joppert.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

a.next_photo_link img:hover {transform:scale(1.20);-ms-transform:scale(1.20);-o-transform:scale(1.20);-webkit-transform:scale(1.20);-moz-transform:scale(1.20); transform:scale(1.20);-webkit-transition:all 1s ease-out;-moz-transition:all 1s ease-out;transition:all 1s ease-out;-ms-transition:all 1s ease-out;-o-transition:all 1s ease-out;}