Os primeiros dados dos censos realizados entre o ano de 2010 e 2011 mostraram importantes avanços na contabilização da população afrodescendente. Apesar de que nem em todos os censos se hajam elaborado as perguntas de maneira adequada e que em alguns países não se realizaram campanhas de
informação e sensibilização aos e às pesquisadoras, a verdade é que muito mais pessoas afrodescendentes reivindicam a sua identidade e a sua cultura na hora de serem entrevistados. A realidade mostra que no caso do Brasil, um país com ampla experiência de coletar informação desagregada por raça nos censos e nas pesquisas nacionais, onde já mais de 50% da população se considera afrodescendente.

Exibições: 56

Anexos

Associe-se

Revista Brasileira de Monitoramento e Avaliação

#Eval4Action

Siga-nos no Facebook!

Últimas atividades

ANA GOMES curtiram o evento Oficina de Impacto Insper Metricis de Marcia Joppert
8 horas atrás
Marcia Joppert compartilhou a discussão deles em Facebook
12 horas atrás
Ícone do perfilLigia Malagón De Salazar, Jaqueline Cunha, Emerson Clayton Arantes e mais 2 pessoas entraram em Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação
12 horas atrás
Maria Cecília Prates Rodrigues curtiram o evento Oficina de Impacto Insper Metricis de Marcia Joppert
14 horas atrás

© 2020   Criado por Marcia Joppert.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

a.next_photo_link img:hover {transform:scale(1.20);-ms-transform:scale(1.20);-o-transform:scale(1.20);-webkit-transform:scale(1.20);-moz-transform:scale(1.20); transform:scale(1.20);-webkit-transition:all 1s ease-out;-moz-transition:all 1s ease-out;transition:all 1s ease-out;-ms-transition:all 1s ease-out;-o-transition:all 1s ease-out;}